GEOGRAFIA: O Município de Presidente Bernardes possui uma área de 236,7 Km² de extensão territorial, distando-se a 190 Km da Capital Belo Horizonte. De clima bom, com média anual de 19,4ºC, com altitude máxima registrada de 875m e a mínima de 620m. O Município é banhado pelos rios Piranga e Xopotó. A sede do Município, a cidade de Presidente Bernardes, tem sua origem no Sec. XVIII (1710), quando aqui chegaram os Bandeirantes Paulistas chefiados por João de Siqueira Afonso, à procura de ouro e índios para o serviço escravo. Seu topônimo original era Calambau, nome dado pelos moradores ancestrais do local, os índios Botocudos. A emancipação política administrativa ocorreu em 13 de Dezembro de 1953, pela Lei Estadual nº 1.039, passando a denominarse Presidente Bernardes. A cidade destaca-se pela grande existência de casarões da arquitetura colonial mineira, dos Sec. XIX e XX, na Praça Cônego Lopes, ruas da cidade e nas zonas rurais. Dois Povoados se destacam no Município, pelo tamanho e aglomeração de pessoas: O Povoado de Bananeiras, cuja origem se funde à histórica Fazenda Bananeiras e o Povoado de São Nicomedes (também conhecido por Cruzes). O nome “São Nicomedes” foi uma sugestão do Arcebispo de Mariana, Dom Oscar de Oliveira, pelo fato de Padre José Nicomedes Grossi, que foi pároco aqui por muitos anos, ter sido um grande benfeitor daquela comunidade. Presidente Bernardes, como as cidades interioranas, é berço para retorno dos conterrâneos que residem fora, em feriados e férias, à casa dos pais e avós, seja na sede ou zona rural.

POPULAÇÃO: A população é de aproximadamente 6000 habitantes, constituída de gente simples e religiosa, formada principalmente pela miscigenação dos portugueses colonizadores, bandeirantes paulistas, índios e negros.

GOVERNO: Atualmente o município é administrado pelo Prefeito Olívio Quintão Vidigal Neto (PSDB). A Câmara Municipal é constituída por 09 (nove) vereadores, a saber: Santiago Soares Fernandes (Presidente) (MDB), Márcio de Souza (MDB), José Maria Guimarães (MDB), Hélder Sabino Vidigal (REPUBLICANOS), João Francisco Moreira (REPUBLICANOS), Milton Cezar da Silva (DEM), Renan Fernandes Teixeira (DEM), Adenisio Taciano Correia (PSDB), José Antônio de Freitas (PSDB).

ECONOMIA: Resume-se no comércio e na agricultura, limitando-se ao plantio de milho, arroz, feijão, cana-de-açúcar e café e na pecuária leiteira. Graças ao trabalho desenvolvido, ao longo dos anos, pelos órgãos assistenciais do Governo, principalmente pela EMATER-MG, Departamento Municipal de Agropecuária, Abastecimento e Meio Ambiente, o agricultor local já despertou para as práticas modernas de agricultura, o que vem melhorando em muito o setor agrícola. Conta ainda o trabalhador rural com a assistência do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Presidente Bernardes, que desde a década de 1970 vem prestando bons serviços aos associados. A indústria que mais se destaca no município é a fabricação de cachaça, em pequenos alambiques, tradicionais, espalhados pela zona rural, cuja tradição remonta ao Século XVIII. Destaca-se também o Laticínio Sabor de Minas, com produtos premiados nacionalmente. Podemos destacar também a produção de mel, que tem no Apiário APIS CAMPESTRE a principal referência na produção de mel e derivados com qualidade. O Comércio, como na maioria das pequenas cidades do interior, ainda é bem tradicional, mas, já demonstrando modernização, graças à informática, que vem mudando a atitude dos comerciantes, adequando-os aos novos tempos.

SAÚDE: O Setor de Saúde do Município atende suficientemente a população nos setores de Odontologia, Fisioterapia, Psiquiatria, Ginecologia, Dermatologia, Clínica Geral, além de encaminhar pacientes para outras cidades para realização de exames médicos e procedimentos cirúrgicos, e graças ao trabalho do Departamento Municipal de
Saúde, o Hospital Municipal Santo Antônio, reformado e reestruturado dá mais conforto e tranquilidade à população.

EDUCAÇÃO: Na área da Educação, o município conta com duas escolas estaduais na cidade: Escola Estadual Governador Clóvis Salgado (1º ao 5º ano) e Escola Estadual Padre Vicente Carvalho (1º e 2º Grau), uma Creche Municipal (CRECHE VOVÓ ETELVINA – hoje CEMEI – Centro Municipal de Educação Infantil), que dá tranquilidade
às mães que trabalham, além de desenvolver um excelente trabalho de sociabilização das crianças ali abrigadas. Uma Escola Estadual no Povoado de São Nicomedes: Escola Estadual Antônio Lucas Martins (1º Grau). As zonas rurais são atendidas por dez Escolas Municipais do pré-primário ao 5º ano. Também conta com a APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) mantida pelo município. O asfalto chegou com o Programa do “Pró-Acesso”, do Governo Estadual, ligando o município à BR-482. A telefonia fixa é atendida pela concessionária OI (código de área
32) e a móvel (celular) pelas operadoras CLARO e VIVO, sendo a energia elétrica pela concessionária CEMIG. A administração do serviço de Água e Esgoto na cidade está a cargo da COPASA.

TURISMO: O município tem um bom potencial turístico, necessitando de alavancar este potencial para gerar renda à população envolvida. Destacam-se os seguintes locais como atrativos turísticos:

CACHOEIRA GRANDE (Também conhecida por Cachoeira do Antero ou Cachoeira do Zé Bento): Situa-se no Rio Xopotó, a aproximadamente 12 quilômetros da sede. No verão é muito procurada por pessoas do município e de cidades vizinhas para a prática de natação e camping. A queda da água forma uma piscina oval bem profunda. Não é bom se aventurar em suas águas sem estar na companhia de quem a conheça.

CACHOEIRA DO FÁBIO: Acima da Cachoeira do Zé Bento, por cerca de 3 quilômetros, a Cachoeira do Fábio, também no Rio Xopotó, é bem procurada. Como a primeira, tem águas profundas.

 

FAZENDA BANANEIRAS: A 12 quilômetros da cidade, no sentido de Porto Firme, em estrada de terra, esta fazenda surge de forma imponente, logo após o Povoado que leva o seu nome, Bananeiras. Sua origem remonta ao Sec. XVIII (1746). Toda cercada por pedras, que segundo se conta, foram retiradas do outro lado do Rio Piranga, puxadas por
bois e com a participação do trabalho de escravos. Possui capela colonial em seu interior e uma grande mesa de pedras em seu pátio interno, obra de escravos. Está fechada à visitação pública. Pertence à família Moretzsohn.

FAZENDA DA ÁGUA LIMPA: Situa-se a cerca de 3 quilômetros da cidade, no sentido de Porto Firme. Tem como atrativo o Engenho mais antigo do município, em atividade desde 1882, onde se fabrica a mais tradicional cachaça de Presidente Bernardes, a “Água Limpa”, numa tradição que vem passando de pai para filhos, desde
1882.

MIRANTE DO CRUZEIRO: Situa-se no alto da grande montanha que domina toda a cidade, onde existe o Cruzeiro – símbolo da fé dos habitantes da cidade – ali colocado por iniciativa de Padre José Nicomedes Grossi, quando assumiu a Paróquia de Santo Antônio de Calambau, em 1941. Possui vasta mata, que faz parte da Reserva Nativa do Município. Oferece ao visitante uma bela vista da cidade.

O BALAUSTRE, A IGREJA MATRIZ E OS CASARÕES DA PRAÇA: O balaustre, obra construída por Padre José Nicomedes Grossi, logo após o término da construção da Igreja Matriz, domina toda a Praça Cônego Lopes. Forma belo conjunto arquitetônico com a Igreja e os casarões. A maior obra edificada em Presidente Bernardes, é sem dúvida alguma, a Igreja Matriz de Santo Antônio, obra esta idealizada e realizada pelo Pároco, à época, Padre José Nicomedes Grossi, posteriormente, Dom José Nicomedes Grossi, Bispo de Bom Jesus da Lapa – BA. De estilo gótico românico, a Matriz de Santo Antônio ocupa uma área de mais de mil metros quadrados de construção coberta, enfeitando a Praça Cônego Lopes, sendo o “Cartão Postal” da cidade. Nesta praça merece destacar também o Jardim JK, construído em homenagem ao Presidente Juscelino Kubstchek de Oliveira, que aqui esteve para inaugurá-lo no ano de 1962 e o Jardim Dois Irmãos, também na mesma praça, que homenageia os irmãos Olívio Quintão Vidigal e Leonídio Quintão Vidigal, comerciantes locais que desempenharam papel importante na política e na comunidade.

EVENTOS PRINCIPAIS: Como a maioria das cidades do interior, comemoram-se, principalmente, as festas religiosas e populares, destacando-se como festejo principal, no 4º final de semana do mês de Julho a FESTA DA CANA & FESTIVAL DA CACHAÇA, que desde 1984 vem atraindo mais e mais visitantes ao município. Este Festival é patrocinado pela Prefeitura Municipal e conta com a participação dos produtores de aguardente do município e comércio local, consolidando cada vez mais a tradição de que aqui se faz a melhor cachaça da região.


CULINÁRIA DOMÉSTICA: Principais quitandas: biscoito de polvilho, rosca da rainha e pão-de-ló, sempre regadas ao café com leite. Pratos: Tutu de feijão; Feijão tropeiro, acompanhado de torresmo, linguiça e couve; Frango com quiabo, sempre acompanhado de angu; Pato com macarrão; Canjiquinha com costelinha de porco e a
tradicional Feijoada. É bom lembrar que junto a estes pratos sempre se serve a nossa boa cachaça de alambique. Merece destaque também a fabricação artesanal de queijos e rapaduras nas propriedades rurais, numa tradição que atravessa gerações. Com base nesta tradição, o Departamento Municipal de Cultura, Esporte e Turismo, desde o ano de 2012 vem realizando, no mês de maio, o FESTIVAL DE CULTURA, ARTESANATO E GASTRONOMIA.


AGREMIAÇÕES CULTURAIS: Como agremiações de caráter cultural destacam-se a Corporação Musical Santo Antônio, cuja origem remonta às épocas de Padre Chiquinho (década de 1930) e a Banda de Congada Santo Antônio.

Fonte de consulta:
“1710/2010 – 300 ANOS DE HISTÓRIA (DE CALAMBAU A PRESIDENTE BERNARDES)”
CONSELHO MUNICIPAL DO PATRIMÔNIO CULTURAL DE PRESIDENTE BERNARDES
-ARQUIVO PARTICULAR DE FERNANDO A CARNEIRO PEIXOTO